CEFALÉIAS E DORES DE CABEÇA

Características

      As dores de cabeça são uma das queixas mais comuns da prática médica. Possuem diversas características e intensidades. De um modo simples, se dividem em dois tipos: as primárias e as secundárias. As primeiras representam a grande maioria dos casos. São aquelas cefaléias onde não existe alteração estrutural do cérebro, tendo, na maioria das vezes, causa desconhecida. O exemplo mais comum é a famosa enxaqueca. Aquela dor de cabeça nas têmporas, pulsátil, que piora com a luz e com barulho e muitas vezes vem acompanhada de vômitos. Algumas podem até causar déficits neurológicos como perda de força em um dos membros ou alteração da visão. Outras cefaléias primárias bem conhecidas são o cluster e a tensional. Nessa última, ocorrem fortes dores com início na musculatura cervical que acabam irradiando para toda a cabeça. Já nas cefaléias secundárias ocorre alguma alteração ou compressão no tecido cerebral. Essas podem se dar através de tumores malignos, neoplasias benignas,  hematomas, ou outras patologias encefálicas. Alguns pacientes referem que a dor de cabeça mais forte sentida na vida é vinculada a perigosa hemorragia subaracnoidea.

Clínica e Diagnóstico

     A clínica das dores de cabeça é bem variada. Vai depender do tipo de cefaléia. A enxaqueca característica apresenta dor unilateral, temporal, geralmente pulsátil. Pode ser agravada pela atividade física o que faz com que muitos pacientes evitem os exercícios. Em várias situações apresenta-se com aura. Essa nada mais é que sinais pré-enxaqueca que funcionam como um "aviso". Podem ocorrer alterações visuais tais como luzes ou pontos luminosos, sintomas sensitivos, como dormência e até déficits de força e de fala. A cefaléia tensional se apresenta como uma sensação de aperto, bilateral, podendo iniciar na região cervical. Outro tipo de dor de cabeça comum é a cefaléia em salvas. Essa se repete de tempos em tempos e vem acompanhada de congestão nasal, vermelhidão ocular e suador. É importante, frente a um quadro de dor de cabeça, realizar um exame de imagem como tomografia ou ressonância. Isso excluirá causas secundárias e dará segurança para estabelecer a terapia mais indicada.

Tratamento

     Os tratamentos variam. Podem ser feitos com medicamentos usados somente durante as crises de dor ou por terapias contínuas que visam reduzir a frequência das cefaléias. Esses são totalmente individualizados e dependem da realização de um exame de imagem prévio para descartar patologias mais graves. Os quadros enxaquecosos, em específico, possuem grande gama terapêutica para controle clínico agudo ou por longos períodos. Aliás, manejos alternativos têm garantido bons resultados práticos. Hoje em dia, estudos têm paulatinamente demonstrado grande melhora das dores de cabeça com dietas apropriadas para o seu cérebro. Se você quer se aprofundar nesse assunto marque já sua consulta. Pode ser revelador.

 

 

 

Rafael Oliveira - Médico Neurocirurgião e Cirurgia de Coluna

Porto Alegre - RS

Dr Rafael Oliveira
2019 - Todos os direitos reservados
  • Instagram - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle

UA-77380970-1