• Rafael Oliveira

Quer perder peso? Em breve livro inédito sobre dieta e alimentação



O mundo ajoelha-se perante uma grande epidemia. Nunca se viu tantos indivíduos obesos e as doenças metabólicas batem recordes dentro das estatísticas médicas. Emergências superlotadas traduzem em agressivas intervenções as consequências das protuberantes barrigas cultivadas sob a égide de especialistas e associações teoricamente conhecedores do que devemos ingerir. Dificilmente questionamos as prescrições alimentares de um profissional e tal atitude vem conduzindo a versada humanidade contemporânea para a beira do abismo. Interessante é que a civilização moderna investe grandes quantias em cuidados corporais, dietas e tratamentos médicos. Desse modo, onde está o erro? Se dispendemos tanto dinheiro para melhorar nossa saúde, porque as estatísticas dizem o contrário? O real problema está no que comemos. Vícios, equívocos e interesses comerciais e pessoais desvirtuaram a alimentação ancestral, àquele talhada para saciar as necessidades orgânicas de modo satisfatório. Àquela que evoluiu juntamente com o homem, adaptando-se às intempéries e moldando-se de acordo com as diuturnas necessidades. Mentes atuais tentaram interferir em anos de evolução e a catástrofe é evidente. Precisamos, com brevidade, retomar a harmonia da sistemática metabólica para, de algum modo, frear os concisos passos que nos levam ao caos orgânico. Abdomens exuberantes são a regra apesar do apelativo e rentável marketing fitness. Fármacos, tratamentos e intervenções diagnósticas estão em constante progresso. Evoluímos de forma vigorosa no campo tecnológico, mas estamos deixando a desejar na questão mais primordial do funcionamento corporal: a alimentação.

Diversas dietas são criadas, vendidas e tornam-se conhecidas pela boca de famosos. A onda virtual dissipa uma ideia na velocidade de um clique e profissionais até então desconhecidos tornam-se celebridades nutricionais. Muitos resgataram antigos conceitos alimentares como as famosas Dietas de Atkins e de Ornishe as mesclaram com reflexões pessoais com o intuito de produzir um conceito alimentar único e exclusivo. Outros defendem que resgatar a nutrição de nossos antepassados seria a chave para organizar um anárquico metabolismo contemporâneo. Dietas restritivas são regra e encantam promovendo perda ponderal acelerada ao mesmo tempo que despedaçam sem compaixão a ilusão de um sucesso palpável em um passado recente. Uma miscelânea de normas tende a misturar os mais variados ingredientes, ditando tal qual um relógio suíço como devemos manter nossa rotina alimentar. Cardápios coloridos e variados ilustram os refrigeradores e relembram o robusto investimento focado na boa saúde. Todavia, o ímpeto de iniciar a mudança sempre esbarra em uma segunda feira. A dificuldade de manutenção coordena nossa escolha dietética. E os fracassos ponderal e metabólico nos fazem acreditar que as mazelas modernas são meros acasos genéticos. Talvez, culpar o calado DNA seja muito mais fácil do que questionar vozes especializadas impactantes ou fechar a boca para quitutes saborosos porém destrutivos à máquina orgânica.

Nesse confuso contexto julguei fundamental encontrar o caminho capaz de nos levar à perdida harmonia metabólica. Que dieta devo escolher? O que devo comer para tornar meu corpo mais saudável? Para se alcançar essa resposta é indispensável compreender a fisiologia dos alimentos ao entrar em contato com o nosso corpo. É indispensável descortinar a complexa cascata hormonal que se inicia ao visualizarmos um alimento que está prestes a ser ingerido. Nessa longa, questionada e polêmica jornada dei o primeiro passo resgatando a esquecida epidemiologia. Entender e traduzir como se classifica um estudo científico foi fundamental para peneirar as pesquisas relevantes e com validade acadêmica suficiente para embasar um livro capaz de gerar posturas controversas. Com isso em mente, passei a selecionar exaustivamente estudos condizentes com o tema de base, dando total prioridade aos ensaios clínicos randomizados, o ápice da epidemiologia. Após exaustiva pesquisa apurei considerável volume bibliográfico. Nele, me aprofundei nas mais variadas dietas e técnicas nutricionais. Descobri um forte marketing enraizado nas nossas mesas. Entendi que a alimentação adequada envolve muito mais do que ingerir somente comidas saudáveis. Esmagados pelo apelo draconiano governamental e industrial devemos ter persistência e orientação para que seja possível uma coerente manutenção da alimentação saudável. Desejar sair da beira no abismo metabólico requer muito mais do que a simples vontade ou a nobre perseverança. Carece contrariar conceitos extremamente consolidados em nosso modo de pensar. Fomos, literalmente, tatuados por regras nutricionais equivocadas e perigosas.Assim, embasado em ensaios clínicos randomizados elaborei um método alimentar revolucionário capaz de reverter obesidade, controlar doenças metabólicas e, o mais importante, proporcionar uma vida saudável. A maior intervenção do homem na saúde se deu de forma totalmente negativa. Chegou o momento de corrigir esse terrível erro. Chegou o momento de efetivamente modificar a sua alimentação e encontrar a verdade orgânica. Você está preparado?


3 visualizações
Dr Rafael Oliveira
2019 - Todos os direitos reservados
  • Instagram - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle

UA-77380970-1