DISPLASIA FIBROSA

O que é displasia fibrosa?

     A displasia fibrosa crânio facial refere-se a uma lesão pseudo neoplásica benigna podendo levar a defeitos congênitos da modelagem óssea. A grosso modo, a conformação do osso normal é substituída por um tecido fibroso, caracterizando um tipo de tumor ósseo. Afeta na maior parte das oportunidades as crianças e possui curso insidioso e lento. Deve ser distinguida de outras lesões cranianas tais como osteoma, cordoma, meningioma e fibroma ossificante. Em muitos casos, os exames de imagem não são capazes de fazer tal distinção, sendo necessário recorrer à análise patológica de uma peça.

Como é feito o diagnóstico da displasia fibrosa?

     O diagnóstico da displasia fibrosa é feito através de exames de imagem. Assim, podemos distinguir três formas radiologicamente:

Forma compacta: É encontrada em 50% dos casos. O osso é progressivamente substituído desenvolvendo um caráter homogêneo. Passa a assemelhar-se a um vidro fosco. Essas lesões são encontradas principalmente na base do crânio, corpo do esfenóide, teto da órbita e asa menor do esfenóide.

Forma lítica: Essa forma ocorre, principalmente, na calota craniana e ossos faciais. A tomografia computadorizada mostra lesão irregular, radiolúcida, circundada por halo com alta densidade.

Forma mista: É caracterizada pela presença de áreas radiopacas alternadas com áreas radiolúcidas à tomografia computadorizada. 

Qual o tratamento para displasia fibrosa?

     O tratamento para a displasia fibrosa deve ser, sempre que possível e acessível, cirúrgico. O objetivo é a extirpação completa da lesão pelo alto grau de recidiva. Dificilmente, dá-se malignização celular o que garante um excelente prognóstico.

Rafael Oliveira - Médico neurocirurgião e cirurgia de coluna vertebral

Porto Alegre - RS

Dr Rafael Oliveira
2019 - Todos os direitos reservados
  • Instagram - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Twitter - Black Circle

UA-77380970-1